terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Meditando

Por aqui me passeio pela força da natureza

De preto me visto no pensamento,

Ao olhar o infinito,tenho a negra visão da clareza.

Em humano triufante glorificado,eternamente,

Como a criança atraída pela beleza

Fascinado revolvo Universo distante.

Voando com asas de Condor

Na luz das estrelas,penso um instante,

Recordo a terra com dor.

Frenética batalha trava a ciência

Com a suprema força que domina

Todo o Cosmos que pela inteligência,

As estrelas olha no escuro universal.

Distantes da Terra no universo brilhando,

Olhos perdidos no infinito astral

Que lenta descoberta vai desvendando.

Humanos nos torna e parte divina

Eterno ingénuo o homem medita,

O Natural e Divino que o atormenta

Na viagem buscando origem infinita,

A luz da esperança que o alimenta.

16 comentários:

Lala disse...

Lindíssimo, Vitor! :)

Maria José disse...

Lindo poema. Ainda que na escuridão, há a luz da esperança. Beijos.

Valéria Sorohan disse...

Lindo, doido, abusado, como é a sua poesia, a sua criatividade.

Meu beijooO*

P. Moisão disse...

Vítor,teus poemas são
Infinitivamente belos.

- disse...

...Tás a tornar-te versátil!
E de escuridão não tens nada.
Abraço do teu mano

Aleatoriamente disse...

Vitor...
Amei o poema e a foto.
Um liga a historia do outro.
O poeta e a poesia.
O instante de meditação intenso, envolvente.
A luz é a energia suprema da palavra.
Linda poesia.

Beijinho.
Fernanda

acácia rubra disse...

"Como a criança atraída pela beleza" assim fui lendo cada linha do teu texto e, cheguei ao fim, com pena dele ter tido fim.

Beijo

OutrosEncantos disse...

teu poema é melancólico.
tem tristeza, desapontamento.
há nossa volta acontecem coisas não normais, para humanos.
então tu deixas-te ir nas asas do condor.
o vento sacode-te a escuridão do pensamento e tu segues viagem em busca da luz merecida, dos brilhos, das respostas.
nem sempre as encontras, porque há tanta coisa tão difícil de entender.
Gostei muito do teu poema, Victor, muito.
Beijo :)

Anónimo disse...

Impera a poesia de preto vestida,mas tão bela como a fotografia.

B.A.

Fê-blue bird disse...

Meu amigo:
Nunca me deixas de surpreender, pela positiva claro!
Esta busca é eterna, assim como é eterna a esperança, sem ela estamos irremediavelmente perdidos.
Busca então a tua Luz!


beijinhos

Juci Barros disse...

Adorei!
Beijos.

Isa GT disse...

Meditando devem andar muitos portugueses... se não andam... deviam.
Mas estás melhor que eu... de mim a esperança anda arredada ;)

Bjos

Anónimo disse...

Poesia nas palavras,bonita e serena expessão de um olhar ao mundo.

alfa disse...

Continua, meditando amigo, bonitas palavras. bjs

OutrosEncantos disse...

Sabias que eu gosto das tuas conversas do costume?!...:)

tá longa a tua meditação...
vim deixar-te um beijo :)

Maria Luisa Adães disse...

Vitor

Regressei do Brasil, espero ficar uns tempos largos por Lisboa.

Gostei da sua meditação num tempo negro, onde a luz se esconde ao longe entre o Humano e o Divino.

Lindo!

Beijos,

Mª. Luísa