quarta-feira, 21 de abril de 2010

Sabe-se que...a 4 de Outubro de mil e novecentos e não se sabe bem...quis o destino...!!!

Sabe-se que foi ali para os lados de não se sabe muito bem onde...
Sabe-se que muito menos se foi de noite ou de dia, que deslizando do ventre materno e pela primeira vez ao mundo aflorou...
Sabe-se também que nada se sabe se teve infância feliz e abastada, ou simplesmente uma infância igual a tantas outras...crianças.
Sabe-se que nasceu com um dom,não se sabe é d'onde o herdou.
Sabe-se isso sim, que cresceu e mulher se fez, e como tantas outras o seu destino procurou...
Sabe-se muito pouco, pouco mesmo, mas pela certa as pestanas queimou, pois cursou, já que o canudo ostentou…
Sabe-se também  que não se sabe, se foi por intuição, ou simplesmente uma opção levada pela razão...
Sabe-se sim, que bendita a hora em que acertada decisão, e  com convicção fez profissão...
Sabe-se,oh, se sabe,que a todos ela ama,e todos a amam ,sem excepcção...
Sabe-se que tudo,mas mesmo tudo,só num contexto de ocasião e aflição...mas a todos um pequeno espaço no coração...
Sabe-se de igual modo,quão dificil é fazer essa separação,mas fá-lo na perfeição...
Sabe-se que por tal razão,muito nova às "feras" se lançou com coragem,e assim as abraçou com devoção...
Sabe-se sim,que pouco mais se sabe, mas de todos ela sabe...
Sabe-se que sabe, no seu imenso saber, no silêncio do sigilio, no riso sorriso, no olhar penetrante em mentes dementes, que as torna felizes por momentos cativantes,ardentes, hilariantes...
Sabe-se que por tal razão tantas gentes carentes, ávidas de por perto ter quem as alivie do suplício da vida que com elas se zangou, e nem perguntou...
Sabe-se quão enigmática, e simpática, quase que se torna encantada, qual fada encomendada...
Sabe-se que lê, qual bola de cristal os pensamentos devassos, cansados, assustados, pervertidos e alheados,de ricos,pobres e abastados...
Sabe-se que sabe que nada sabe...e só assim ficará a saber que sabe...as histórias que lhe deram a saber...
Sabe-se que assim sabe,que guardará as vidas que lhe trouxeram a conhecer...
Sabe-se que pouco mais se sabe...

Sabe-se que simplesmente …sabe!

24 comentários:

Lala disse...

olha.... digo-te já que li isto três vezes e fiquei... como dizer??? sem saber!
Xiça! dá para não baralhar os neurónios à miúda??

Uma coisa eu sei: gostei do 'jogo de palavras'!


beijinho**

acácia rubra disse...

Fosse a 4 de Outubro ou noutro dia qualquer...

O destino quis que me identificasse com a personagem do texto. Talvez porque há passagens em que me vejo quase nada no todo da vida aberta dessa mulher...

Belo texto, cheio de incógnitas e de sensibilidade.

Beijo

Maria João disse...

Feliz daquela a quem este belo texto é dedicado!
Abraço GDE!

J.Filipe disse...

Que fantástica personagem,fictícia ou não!Enigmático és tu,meu caro,pela mestria com que lidas com as palavras.

Abraço

Anónimo disse...

Dificil, muito difícil perceber de quem pouco se sabe.Fácil, muito fácil entender que te dás ao prazer de brincar com as palavras a teu bel-prazer.
Há momentos assim, não é?

Beijinho

B.A.

Anónimo disse...

Hercule Poirot não teria tarefa fácil para deslindar tamanho enigma.
“Não se sabe”, entre tantas reticências se para tal teria capacidade.
Talvez a visada dê uma ajuda e por aqui apareça. O que se sabe é que montaste um excelente puzzle. Por textos anteriores dá-te gozo os trocadilhos?

APPLE disse...

Fiquei a saber que sabes escrever muito sabiamente.
Gostei! Parabéns!

P.Oliveira disse...

"Sabe-se fazendo tuas palavras,és um gajo enigmático....
"Sabe-se que gostas de brincar com as palavras...
"Sabe-se que adoras,trocadilhos...
"Sabe-se que jogas bem com metáforas...
"Sabe-se que pura e simplesmente...ficamos sem saber nada".
E já agora o que é que o 4 de outubro,vem para aqui chamado em abril,desculpa ter feito o comment
pegando nas tuas palavras,mas achei espectacular.

PizoLizo disse...

...Sente-se a admiração!
Sente-se a deferência!
Sente-se até a próximidade!

Sente-se k percorre um caminho k tu admiras!

Felizarda!

Abraço forte...do teu mano!

P.Moisão disse...

Vítor, escrever também é fantasiar!Na mouche

continuando assim... disse...

e parece que nada se sabe ::))
excelente !

bj
teresa

Paula Barros disse...

A quem é que será a felizarda,que dedicas este sabe-se.
Sabe-se tanto e acaba-se por não saber nada, enigma.
E fquem para aí a remoer o amendoim!

Nice disse...

Bem...estamos a falar de alguém que sabe muito....de uma super-mulher, talvez.... e olha, Paulita...tou aqui fartinha de remoer o amendoim!!!!!

alfa disse...

Bem... e eu depois de ler e reler,fiquei também sem saber...
Portanto, se o amendoim ainda chegar para mim...

bjs

Paula Barros disse...

Desculpa Alfa,o amendoim é só pra mim, tem direitos de autor,mas para não ficarem tristes, esta é também para a Nicinha pondem tentar remoer o pistacho.
MISTÉRIO....

XS disse...

Vitor, Vitor... Que orgulho terá tua a musa inspiradora! Será a tua mãe?

XS

Gingerbread Girl disse...

Extremamente bonito e inteligente. ;)


*

Vitor disse...

Senhoras e senhores…Mano…Ana Paula minha esposa: a todos peço desculpa por não vos responder individualmente, pela simples razão que o comentário que me apraz fazer aos vossos comment’s é invariavelmente igual. Ou seja…”Quando “alguém” nos entra na vida, e de algum modo a transforma, iluminando-nos o caminho, que muitas vezes se nos afigura tão escuro e tenebroso, só pode merecer o meu respeito e admiração…mesmo que muito pouco saiba desta ilustre personagem…mas de mim sabe ela muito…haveriam de gostar conhecê-la!

Beijinhos e abraços.

Paula Florêncio disse...

“Há sempre alguém que nos diz, tem cuidado”
…Forma brilhante de falar de alguém que nos é querido.

Vitor disse...

P.Florêncio:O brilhantismo não está em mim,mas sim em quem comigo partilha histórias de vida.

Montes Costa disse...

Gostei da poesia, está lindo

vou acrescentar ao seu poema

Sabe, simplesmente quem não sabe!
porque quem não sabe, pensa que sabe.
O saber é filosófico, e o que se sabe, ao contrário do que se pensa, é inversamente proporcional ao que se aprendeu.

Eu não sei, mas ...
está poético e penso que era esse o objectivo, não interessa quem

Vitor disse...

Montes Costa:Obrigado...realmente o que tenho aprendido,mesmo sem saber!

Abraço!

Maria Luisa Adães disse...

Vitor

Sabe-se,

Alguém diz
não se sabe
donde veio esse saber,
mas sabe-se,
comenta-se,
conta-se,
escreve-se.

Mas ao certo
Ninguém sabe
e a falta de certeza,
transforma o sabe
em mistério e lenda.

Tudo isto
porque se sabe
e se diz
e entra
nas nossas Histórias.

Gostei do que escreve!

Obrigada por sua presença e palavras, ao poema
"Deixa Que Te Leve"

e na realidade as palavras saem
com naturalidade e se compõem por
elas mesmas, com um pequeno sopro
de vida.

Beijo,

Maria Luísa

Vitor disse...

Maria Luisa,deixou-me como sói dizer-se sem palavras...muito obrigado,pelas palavras suas!

Bj*