quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Entre um café,e um cigarro...!!!


...Manel entrou, olhou em redor e constatou que muito poucos clientes permaneciam na esplanada, único sitio do estabelecimento onde se poderia fumar. Por bons hábitos aquiridos, de que fumar prejudica, a fraca adesão ao lugar em questão, exclamou! Sentou-se estrategicamente virado para a rua,para uma melhor visão ter do que por ali se passasse. Seria uma agradável maneira de passar o tempo até que o inevitável apetite para a refeição intermédia do dia chegasse, observando os transeuntes na azáfama do dia a dia. Sempre gostou de analisar o comportamento das pessoas, que por pressa de afazeres profissionais, ou simplesmente pela calma de um agradável passeio, fazem quadros em movimento,quais impressionistas,ou com expressões surealistas. Manel aglutinava de uma forma deliciosa aquele visionar de "telas"fora de uma galeria. Por ali permaneceu um bom par de minutos, chegando finalmente a hora do repasto.Levantou-se calmamente para se dirigir ao salão do restaurante, quando foi interpelado por um homem que aparentava meia idade, bem parecido, e com ar de que o desporto fazia parte dos seus hábitos, e que num tom de boas maneiras lhe perguntou se era ali o famoso pátio da Galache? Manel respondeu afirmativamente! Sabe, retorquiu o visitante, é que combinei por aqui me encontrar com uma amiga de há muitos anos, mas já tantos se passaram sem nos vermos, que receio que nem a vá conhecer.Pois, é normal que assim seja, quando estamos muito tempo sem ver alguém, e os anos não perdoam, as feições mudam, e compreendo perfeitamente a sua preocupação, retorquiu Manel.Mas tudo há-de correr bem, comentou, para o seu novo amigo de ocasião. Mas não deixou de pensar para os seus botões:"cheira-me a um malandreco que vai tentar a sua sorte para coleccionar mais uma presa para a sua sala de troféus"! Puro engano. Quase em simultâneo quando se preparava para descer para a sala de refeições, eis que surge uma senhora, elegantemente vestida, bonita, e pelo fino trato da sua pele, percebia-se que era gente que se cuidava,não aparentando a idade que tinha,confirmando esse facto mais tarde,na conversa entre ambos.As primaveras eram  mais,do que  aparentava.Quem diria,sussurou Manel,adivinhando  a pergunta trivial, talvez por ter comportamento  de ser o proprietário da esplanada. Nem deu tempo de acabar o seu pensamento.A pergunta aí estava. Era ali o afamado pátio da galache?Manel rapidamente percebeu que era a senhora do tal encontro do seu novo amigo, e com um simpático "sim",respondeu! Ajudando de imediato a quebrar o gelo apresentando-os como se os conhecesse há muito.Afinal eles ficaram confusos na primeira abordagem,pelo muito tempo sem contacto.Convidou-os a descer á sala para almoço, restavam duas mesas, muito juntas uma da outra por sinal. Por cortesia acomodou o casal, dando-lhes a preferência da escolha, sentado-se ele na que restava, de costas para eles,por coincidência. Foi um ouvinte privilegiado de quase duas horas de conversa, embora dando sempre a ideia que não prestava minimamente atenção ao diálogo dos seus recentes amigos. Foi uma conversa franca e aberta de duas pessoas de principios, falaram de tudo e mais alguma coisa, e nunca neste espaço de conversação Manel ouviu o que quer que fosse que desse indícios a um "engate" de ocasião. Por fim beberam café, fumaram um cigarro,subindo novamente à esplanada,e despediram-se com a promessa de um novo encontro. E Manel voltou a falar com os seus botões, afirmando:"Nem sempre o que parece é...amigos à séria estes"...!!!

15 comentários:

J.Filipe disse...

Gostei da história...e felizmente há quem as conte.



Abraço

Anónimo disse...

Entre um café,e um cigarro...contasse uma vida!

B.A.

Maria João disse...

Ui! Eu ia comentar esta narrativa e, de repente, nem sei porquê, apercebi-me de que os comments seriam enviados para o meu endereço do gmail... está escritíssimo por baixo desta janelinha de comment... bem, deve ser porque eu também tenho um blog no Google... mas não tinha afluência nenhuma e eu só publiquei dois ou três poemas...
Eu não tenho a menor dúvida de que é muitíssimo possível a amizade verdadeira entre um homem e uma mulher... e que agradável deve ser encontrar um amigo de infância, conversar com ele entre um café e um cigarro...
Gostei, especialmente, daquela imagem das telas em movimento... das telas vivas. :)
Um abraço grande!

ampulhetas disse...

gostei!!!!

obrg. pelo teu coment no ampulhetas


bj
teresa
sigo-te

alfa disse...

Vitor, não tiveste amigos na tua infância? Só te aparecem é amigas. Ou esta história é ficção?

Gostei. Entre um café e um cigarro, de facto às vezes fazem-se boas conversas.

bj

Maria João disse...

:0! Uh? "Génio escondido"... mas eu sou mesmo lerda! Será que não nos "entrescrevemos" há já muito tempo?

Nice disse...

Tou a ver..... és tu o Mnel, né????
ÉS TU O MANEL!!!!!!

Vitor disse...

J.Filipe:Gostei que gostasses!

B.A.:Assim é,por vezes!

Maria João:É grateficante o elogio,vindo de si...e claro que nos "entrescrevemos" há já muito,mas o génio está desse lado,do seu lado!

Teresa:Sem nos lermos,não nos conhecemos,e sem outros ler,não temos rezão para escrever,acho!

Ana Almerum:Sempre tive uma grande panóplia de amigos,de ambos os sexos.O texto tem tanto de ficção como de verdadeiro...um pouco ao estilo das canções do jorge Palma,de quem sou fã incondicional!

Stora Nice:Atão sou o Manel?E a senhora é a Maria?...andas por lá perto,ou não?;-)...e não é que tinhas razão no "detectaste"...além de dares "música"aos meninos e meninas,também davas uma boa prof. de português...e vê lá se apareces por vila franca,que para aí só a cavalo,e eu vendi o meu!

Paula Barros disse...

Bonita história...Sempre foste um bom observador.
Sabes uma coisa, com sentido de humor,oh Manel olha que eu bem gostatia de lá ter estado para conhecer o tal senhor bem musculado.
Agora a sério maridão, gostei da história tens uma imaginação fértil. Beijão.

Vitor disse...

Esposa minha, muito da minha imaginação a ti o devo…inspiras-me!
…O senhor musculado, não era tanto assim, mas põe os óculos quando estivermos juntos, aqueles de ver ao perto, …et voilá…homem musculado à tua frente ;-)

beijos

José Ceitil disse...

Boa história! Quem se atreve a mostrar o que escreve tem que ser cusco como o Manel e "ladrão" de bocados de vidas que passam ao alcance do seu sentido de observação. Digo eu...

Vitor disse...

Zé,bons olhos te vejam aqui pl´o “outro lado”…de vez em quando sai-me “disto”,um pouco ao estilo do nosso “matador”,gosto de contar histórias ;-)

Abraço

XS disse...

Não perdeste o jeito. Parabéns. Mais uma belíssima história.

Vitor disse...

XS: Obrigado.Vou fazendo por isso!

Mariparva disse...

Eu também costumo 'ser' o Manel. Boa história.