quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Nadas...do nada!

Do nada veio,ao nada se agarrou para que nada lhe faltasse.Pelo nada se foi,sem que nada tivesse conseguido,por uma vida cheia de nadas.Nadou e naufragou em águas repletas de nadas,como se nada a importasse,ainda assim em regras do nada os seus nadas impor queria.Nada e criada em terras do nada,e do nada se fez nada,permitindo-se apoiada no nada tirar nada a quem nada tem para dar,além do nada!

...E em dia dos nadas,nada se foi!

4 comentários:

redjan disse...

E nada se perde, tudo se transforma !

Vitor disse...

Nem mais,amigo!

acácia rubra disse...

Sabes, Vitor, que o tudo resulta de muitos nadas?

Beijo

Vitor disse...

Pois...calhando,acácia!

beijo