sábado, 25 de setembro de 2010

Ele...!!!

Por si só tudo resolvia,soluções insolúveis até. De espanto se questionavam quem de perto com ele partilhava a vida, e vidas sem vida alguma, também.
E um dia, de tantos iguais, um foi diferente do tal, que o próprio mais cedo se recolheu, escondendo-se por detrás do sol, assustado que ficou com tamanha diferença.
E assim noite se fez, cantando as cigarras, decorrendo o verão propício a tamanha cantoria, em apressado passo para dar lugar a um Outono desesperado de tanto esperar por sua vez de reinar.
Cantando as cigarras, uivando os lobos lá longe na pradaria, preparando-se para mais uma caçada nocturna, e ele, ao som das cigarras, dançava, qual dança com lobos, que estupefactos ficaram com tamanha ousadia que ainda em pleno dia, caminhando para as trevas, com pouca, mas luz solar ainda, imponente em sua caminhada desbravada,quanto ousada, com passo firme de meter medo até à sua própria penumbra,que deslumbra uma sombra tão ténua,do fim do dia chegar,sem eira nem beira,ou qualquer outro lugar. 
Resolveu, mais uma vez resolveu a preceito o enigma feito paradigma, para desespero de quem à muito esperava e desesperava pelo dia em que não o conseguisse fazer, mas fê-lo um dia mais, ao som das cigarras, sem medo dos lobos em alcateia que nem assim satisfizeram o apetite voraz de faminto dia de caçadas fracassadas, para gáudio da plateia sobrevivente, que assim mais um dia, ou noite, ficaram para contar e testemunhar, que ele, sempre ele, e nunca outro, mais uma noite, ou dia, em correrias fugidias do destino que há tanto teima em fim pôr a tanta ousadia feita de carácter inquestionavelmente impar, do bom, portanto.

Até quando?...o questionavam!...até que ela queira em seu colo reconfortá-lo, respondia.

21 comentários:

Isa GT disse...

Carácter inquestionável e bom, coisa cada vez mais rara nos dias que correm e os resultados... vêem-se todos os dias ;)

Bjos

acácia rubra disse...

Um texto que se lê a um ritmo apressado e que nos deixa sem fôlego.

Gostei

Beijo

Vitor disse...

...É mesmo Isa,é mesmo!

Bj*

Vitor disse...

acácia rubra,uma vida apressada a que levamos,por vezes sem saber o sentido e,para que sentido a levamos.

Bj*

Maria Luisa Adães disse...

Vitor

Fala-nos da pressa de viver de tal forma que a respiração pára, tudo pára e eu
caio no chão cansada, perturbada, coberta de palavras verdadeiras,
como aquelas que eu gosto de dizer.

Há um ritmo, cada vez mais acelerado, no seu poema.

E no final, sento-me e descanso desse ritmo, mas com vontade de
tornar a voltar e o reter um pouco e dizer - pára, eu te quero conhecer!

Beijos e adorei.

Mª. Luísa

Vitor disse...

Maria Luisa,quem ficou agora sem palavras fui eu...obrigado mesmo!

Bj*

Fê-blue bird disse...

Já há tão poucos "eles" assim!
Um conto cheio da força de quem sabe o que escreve.
Parabéns!
beijinhos

Anónimo disse...

A escrita é um estado de alma,e este texto tem alma até Almeida,carregado de frenesim entre vários caminhos percorridos,sustentado por uma escrita muito própria de deixar fantasiar quem por aqui passa,lendo e lendo-te nas entre-linhas.não gosto do óbvio,e assim sendo texto para meditar...e sendo assim,gosto como escreves.

B.A.

Vitor disse...

Fê,de quando em vez,lá sai qualquer coista ;-)

Bj*

Vitor disse...

B.A.,o que dizer?...Obrigado!

P.Moisão disse...

Escreveste em andamento,como uma sinfonia de Choupin,melódica e voltágica em tempo real.Que os lobos não te matem,porque se perdia um ótimo narrador de histórias.

Beijinho

continuando assim... disse...

estonteante ...

de vez em quando passo para este lado :)

bj
Teresa

Anónimo disse...

Por mais voltas que se dê, fica sempre a sensação que esta história tem destinatário…apenas tu o saberás, tal a difícil cifra de descobrir a quem. Mas seja lá para quem for, adorei o ritmo e a forma diferente de transmitir algo, ou alguma coisa.

Matilde

Juci Barros disse...

Seus textos sempre tazem alguém com uma personalidade forte, única.
Beijos.

Cesar Salgueiro disse...

Parabéns Vitor

Vitor disse...

P.Moisão...Achas? ;-)

Bj*

Vitor disse...

Teresa,e fazes muito bem passares para este lado...acho!

Bj*

Vitor disse...

Juci,pois,talvez assim seja!

Bj*

Vitor disse...

César,obrigado!

- disse...

Mano, continuo na minha, tens de publicar!
Abraço

Vitor disse...

...Se voltares a tocar bateria,talvez me aventure ;-)

Abraço