quarta-feira, 23 de junho de 2010

Amo-te sim...muito!

Tenho saudades de ti, e de mim também
Saudades do que não chegou até mim, parece que estive no além
Perdi o que tive à mão
Sem saber porque razão
Um dia vou saber, ou talvez não
A saudade magoa tanto
E tanto magoa, que ficamos em pranto
E sim, talvez não creias, mas amo-te tanto
Tanto te amo, que acredita,  por ti daria vida
Sempre foste a razão do meu ser, só tenho olhos para ti,amor da minha vida
Estás longe, e tão perto, que me dói o coração de saudades tantas
Cresceste tão depressa, que não me deste tempo, de te dar o tempo que tanto querias
O destino não tem compaixão, de quem deixa fugir o amor do seu coração
Mas, coração meu, embora não pareça, és a minha paixão
E um dia, qual dia, havemos de viver em perfeita comunhão
Ao olhar as estrelas, perguntou-me tua mãe, qual razão?

Estava com saudades tuas, amor do meu coração!

21 comentários:

Isa GT disse...

O tempo não pára e acelera a cada ano que passa.

P.Moisão disse...

É forte o teu amor por ela.Fico feliz por ti!

Beijinho

APPLE disse...

Saudades! O sentimento que mais doí!
Gostei muito da tua doce inspiração.
Abraço

Vitor disse...

Isa GT:É verdade...e temos que o agarrar enquanto é tempo...porque cada vez é menos!

Bj*

Vitor disse...

P.Moisão:Obrigado...e sim,é o amor da minha vida.

Bj*

Vitor disse...

Apple:Grato pelo doce elogio...E por vezes doí mesmo muito,a saudade...se doí!

Bj*

PizoLizo disse...

...Será sempre tua essa tua doce paixão...afinal tem em ti a sua razão de existir e ama-te da mesma maneira...
Abraço de irmão

Vitor disse...

Mano:é mesmo a minha doce paixão!

Abraço GRANDE...de IRMÃO!

acácia rubra disse...

Lindo, este amor sentido!

Beijo

Vitor disse...

Acácia rubra:É tal & qual,o dizes!"Lindo,este amor sentido"...obrigado!

Bj*

Anónimo disse...

Todos nós temos saudades,saudades dos nossos petizes.Eles crescem e fica o sabor doce,disso mesmo,de os ver crescer...e depois vem a saudade,que tu tão bem sentimentalizas no teu poema.

Parabéns pelo amor de pai.

Beijinho

B.A.

OpálaSpirit disse...

A saudade corrói, infiltra-se em nós, nas nossas entranhas.
Deixa uma ferida que sangra a céu aberto. E dói,dói,dói.

Vitor disse...

Opála Spirit:A saudade é isso mesmo...dói que se farta!

*

alfa disse...

Já li isto no teu facebook....vou voltar a ler. Pai babado é o que tu és, isso sim.bjs

Vitor disse...

Ana Almeruma:Pai babadíssimo...isso mesmo ;-)))

Bj*

Olga disse...

Obrigada pela visita ao meu cantinho e pelas palavras que me deixas-te. Tenho estado um pouco afastada do meu canto, não tenho encontrado inspiração, dizem que é só uma fase, talvez seja. Gostei do teu blogue e da forma como escreves. Boa semana.

Vitor disse...

Olga:Pois...deixa para lá essa fase,e escreve,escreve...e vais ver que tudo volta ao normal!

Bj*

Miguel disse...

É bom regressar ao convívio da blogosfera e deparar com um texto destes, tão intenso, tão doce e mágico, incapaz de nos deixar indiferentes. Um grande e sentido abraço.

Vitor disse...

Obrigado Miguel.

Um abraço grande

Luis Baptista disse...

O amor é uma coisa bonita.

Vitor disse...

Luís:...é mesmo,muito mesmo!